YouTube na tela de um computador
Fonte: Unsplash

Na última quinta-feira (10), o YouTube publicou um artigo delineando o que usuários e creators podem esperar da plataforma em 2022.

Alguns destaques incluem a inclusão de novos recursos para ter insights de conteúdo e incentivar a compra no aplicativo.

Quem assinou o texto foi Neal Mohan, Chief Product Officer do YouTube. Abaixo, trouxemos os principais pontos para você.

Mais recursos para criadores de conteúdo

Que o YouTube investe para tornar a plataforma mais vantajosa para creators, todos já sabem.

Seu programa de monetização é o mais lucrativo entre as redes sociais, e há várias ferramentas que servem para apoiar a produção e promoção do conteúdo, como pesquisa de palavras-chave e mídia kit.

Sendo assim, o YouTube compartilhou que vai investir em três formatos para potencializar a liberdade criativa dos usuários: Shorts, Live, e vídeo sob demanda (VOD).

Shorts: competição acirrada com o TikTok

Com o crescimento vertiginoso do TikTok, o YouTube continua investindo forte no Shorts para fazer frente à rede social chinesa. Sendo assim, um dos destaques para 2022 é aprimorar o recurso que permite remixar áudios já existentes na plataforma.

Similarmente, haverá novas funcionalidades, que incluem efeitos e possibilidades de edição.

E, focando na interação entre as contas, também será possível responder a comentários individuais com a criação de novos Shorts. Familiar, não é mesmo?

Por último, o YouTube destacou a criação do YouTube Shorts Fund, que incentiva a produção de conteúdo com a monetização dos creators. Sendo assim, esse estímulo será potencializado no futuro, junto com outras possibilidades:

  • adição de funcionalidades ao BrandConnect, a solução de branded content do YouTube;
  • integração do Super Chat ao Shorts;
  • e o recurso de compra diretamente no Shorts.

Livestream: conteúdo colaborativo ao vivo

O YouTube vem registrando bons resultados com livestreams. Somente entre janeiro de 2020 e dezembro de 2021, o tempo de visualização de vídeos ao vivo triplicou.

Considerando essa evolução, a plataforma vai disponibilizar a possibilidade de fazer livestreams em parceria com outros canais.

A intenção é impulsionar as conversas casuais entre criadores de conteúdo, ao mesmo tempo em que fica mais fácil para que creators atinjam novos públicos e criem conexões significativas com a audiência.

Similarmente, os criadores de conteúdo também poderão delimitar orientações para as discussões em seu canal.

Mais do que isso, para impulsionar o valor da troca de experiências para os usuários, será possível filtrar os comentários para o tempo exato em que o espectador está assistindo.

E-commerce: compras direto no YouTube

TikTok e Instagram foram pioneiros em proporcionar uma experiência de compra integrada aos aplicativos. Agora, o YouTube está seguindo seus passos.

A intenção é impulsionar as vendas através de vídeos com feeds de produtos. Com este recurso, usuários podem visualizar produtos mencionados nos vídeos e ir para a página diretamente,

Também há planos para potencializar o live shopping. Um dos destaques apontados foi o Holiday Stream and Shop, onde creators participaram ao lado de marcas globais como Walmart, Samsung e Verizon.

Entretanto, as possibilidades não se limitam a essas. O YouTube disse estar pensando em, “de maneira mais ampla, a forma com que a compra está presente no aplicativo”.

Monetização: incentivo à criação de conteúdo

Foi destacada a importância de recursos como o Super Chat e Clubes dos Canais para impulsionar a criação de conteúdo a partir do financiamento. Sendo assim, novas funcionalidades serão adicionadas ao leque do YouTube.

Uma delas é a possibilidade de presentear outros usuários com a assinatura a um canal. O objetivo é impulsionar a receita fornecida aos creators.

E ainda tem mais!

Os planos ambiciosos do YouTube para 2022 não acabam por aí. Várias ideias foram mencionadas sem grandes detalhes, mas dão uma noção do que podemos esperar para o cenário deste ano. Entre elas, estão:

  • Insights para creators: haverá uma ferramenta do YouTube Studio para pesquisar ideias de conteúdo que os usuários estão buscando, baseada em dados do YouTube e do Google.
  • Blockchain e NFTs: usuários poderão verificar a propriedade de vídeos, fotos, arte e até experiências. O YouTube mencionou que precisa ter cautela ao explorar essa possibilidade.
  • YouTube na TV: com o crescimento deste canal, o YouTube vai investir em trazer uma experiência aprimorada para os apps, permitindo a organização da biblioteca e facilidade para assistir livestreams.
  • Controle parental: a funcionalidade de contas supervisionadas do YouTube Kids será expandida para o YouTube Music, Living Room e Assistant, dando mais domínio para responsáveis de crianças e adolescentes.
  • Metaverso: o YouTube vai adentrar o metaverso a partir dos games, mas apenas mencionou que vai “trabalhar para trazer mais interações para os jogos e torná-los mais realistas”.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba semanalmente as principais notícias e conteúdos sobre Marketing Digital.

Você pode gostar disso