O branding já se mostrou uma área extremamente importante quando se fala em marketing. Afinal, os consumidores estão em busca de relacionamentos mais autênticos, sustentáveis e holísticos. Foi-se o tempo em que marcas tinham sucesso interagindo com a audiência de forma pouco profunda e significativa.

De acordo com pesquisas da Stackla, 86% dos compradores no Reino Unido, EUA e Austrália levam em consideração a autenticidade ao decidir quais marcas apoiar.

Com tudo isso, surge a necessidade da criação da personalidade e voz da marca. A forma como uma empresa se comunica dentro e fora da Internet passa a ter importância fundamental para cativar as pessoas. É aí que entram os arquétipos.

Quer saber o que são os arquétipos de marca e como você pode usar essa estratégia para criar mais conexão com o seu público? Continue lendo!

O que são os arquétipos de marca?

Arquétipos são padrões ou modelos que são recorrentes em histórias, personagens, situações e ideias. Portanto, um arquétipo de marca trabalha em cima disso para criar padrões que representam a personalidade da sua marca.

A teoria dos arquétipos foi desenvolvida por Carl Jung, pensador que fundou a psicologia analítica e criou o conceito de inconsciente coletivo. De acordo com ele, esse inconsciente seria uma união de materiais herdados, passados de geração para geração, contendo traços comuns a todas as pessoas.

Para Jung, os arquétipos designavam as motivações básicas do ser humano, conferindo traços de personalidade, crenças e valores a eles. Os arquétipos de marca são divididos em 12 tipos e são essenciais para criar conexão entre as pessoas.

Os 12 arquétipos de marca

Arquetipos das marcas
Imagem criada pela Reportei

No famoso livro “O Herói e o Fora da Lei“, Carol S. Pearson e Margaret Mark escrevem sobre os arquétipos de marca, apresentando suas aplicações no marketing para que as empresas aprendam a desenvolver conexões reais com seus clientes.

Existem 12 arquétipos principais. Nós vamos falar sobre cada um deles para que você possa ter uma ideia de suas implementações no mundo das marcas e do branding. Eles são:

  • O Inocente;
  • O Sábio;
  • O Herói;
  • O Fora da Lei;
  • O Explorador;
  • O Mago;
  • O Cara Comum;
  • O Amante;
  • O Bobo;
  • O Prestativo;
  • O Criador;
  • O Governante.

Vamos lá?

O Inocente

O inocente é aquele que inspira pureza e que volta à inocência da infância. Ele vê o mundo com simplicidade e positividade, acreditando que sempre podemos chegar em soluções descomplicadas.

Pessoas que são atraídas pelo arquétipo do inocente geralmente são pessoas que sonham com um mundo ideal. Um mundo melhor.

A Dove é um grande exemplo de arquétipo do inocente. Suas campanhas inspiram autenticidade, valorizando a beleza interna da mulher muito mais do que a externa e incentivando o empoderamento feminino.

Veja abaixo a campanha Retratos da Real Beleza da Dove:

O Sábio

O sábio é aquele que valoriza o aprendizado e a sabedoria acima de tudo. Portanto, ele acredita que compartilhar conhecimento é uma forma de chegar a lugares incríveis. O sábio costuma estar sempre à frente de tendências, pesquisas e estudos.

O jornal The New York Times e a marca TEDx são exemplos desse arquétipo. Ambos difundem conhecimento pelo mundo, só que de diferentes formas. Enquanto o TEDx foca em palestras e lições, o Times enfatiza seu propósito de sempre espalhar a verdade, como você pode ver através do anúncio:

The New York Times

O Herói

O herói é aquele que todos nós já conhecemos: ele protege e se coloca em situações de risco para salvar aqueles que ama. O herói é corajoso, esforçado e está pronto para qualquer desafio. E essas características fazem dele o arquétipo perfeito para marcas esportivas.

A Nike é uma grande representante do herói, já que seu próprio lema – Just Do It (Apenas Faça) – evoca uma sensação de que tudo é possível se há esforço e vontade.

Veja a campanha vencedora do Emmy, You Can’t Stop Us:

O Fora da Lei

O Fora da Lei é um arquétipo de marca também conhecido como o “rebelde”, o “bad boy”. Ele repudia o sistema tradicional e burocrático, buscando inovar e romper com as barreiras que já conhecemos.

As marcas que se encaixam nesse padrão são vistas como revolucionárias e disruptivas. E por isso, não podemos deixar de falar da Apple. O slogan da marca é “Think Different” – Pense Diferente. A empresa revolucionou o mundo digital, abrindo espaço em um mercado ainda pouco evoluído.

É legal perceber que a Apple se conecta com seus consumidores fazendo com que eles se sintam tão diferentes e inovadores como a própria marca. Essa é a magia dos arquétipos.

Apple

O Explorador

O explorador é um descobridor de mundos. Ele ama novidades, odeia seguir rotinas e preza pela liberdade. Quer viver uma aventura? Conte com o explorador!

A Heineken é uma marca que se encaixa nesse arquétipo. Suas campanhas são focadas em aventuras e eles promovem eventos e festas fora do comum para seus clientes.

Dê uma olhada na ação da Heineken com parceria da UEFA Champions League:

O Mago

O mago tem como pilar a transformação da realidade e a fuga do senso comum. Dentre suas características estão o mistério, a ilusão, o improviso, a inovação, e, é claro, a magia.

A Red Bull é um case interessante do mago. Sua propaganda clássica com uma pessoa que toma Red Bull e sai voando é conhecida no Brasil inteiro.

RedBull te dá Asas

O Cara Comum

O cara comum não se importa em ser mais um entre outros. Ele se mistura entre a multidão, desejando pertencer, e acredita na igualdade. Ele prefere a familiaridade do que o estranho.

Muitas lojas de departamento acabam utilizando esse arquétipo, já que elas direcionam sua comunicação para o público geral. Os conteúdos da marca Target, no Instagram, por exemplo, focam em dicas do dia a dia, mostrando a rotina de gente como a gente.

Target

O Amante

O arquétipo de marca do amante não está apenas relacionado ao romance. Ele está ligado à personalização e à exclusividade. E é claro, características como a sensualidade, a ousadia e a intimidade também entram aí.

Algumas marcas de perfume de luxo e de lingerie utilizam esse arquétipo para se comunicar com seu público. Veja um exemplo do comercial da Chanel:

O Bobo

As marcas com o arquétipo de bobo da corte geralmente agem de forma divertida, engraçada e leve. Elas são acessíveis e vêem a vida de forma tranquila e despreocupada.

Quer um exemplo muito icônico? A Pepsi, com suas propagandas muito bem humoradas e direcionadas ao público jovem, faz ótimo uso desse arquétipo de marca. É um contraste bem interessante com a Coca-Cola, que se posiciona como o inocente.

Veja abaixo o comercial:

O Prestativo

O prestativo ou cuidador é aquele que ama cuidar e ajudar o próximo. Há muito carinho e afeto no posicionamento das marcas que escolhem usar esse arquétipo como parte de sua voz.

As empresas que incorporam o prestativo costumam focar nas pessoas em primeiro lugar, dando voz às causas sociais e humanitárias. A instituição Médico Sem Fronteiras é um exemplo desse arquétipo. Ao vermos suas redes sociais, conseguimos perceber que o conteúdo é praticamente só focado em pessoas.

Médicos sem fronteiras

O Criador

Pelo nome, você já deve ter imaginado. Sim, o criador é um arquétipo de marca super criativo! Ele é artístico, visionário e adora desenvolver novos projetos. O criador dá grande valor às ideias.

A Lego é uma das marcas que usa o arquétipo do criador com maestria. Ela incentiva que seu público crie a partir de seus produtos, sempre enfatizando que a imaginação é infinita.

Lego

 O Governante

Por fim, temos o governante, que é o que detém o poder e que lidera o povo. Ele se sente bem em meio a multidões e tem boas habilidades persuasivas. O arquétipo do governante possui muita autoridade e força nos seus discursos.

O que une os consumidores que são atraídos por esse arquétipo é a sensação que seus produtos trazem de status, poder e classe. As marcas Rolex e Louis Vouitton usam muito esse tom na sua comunicação.

Rolex

Os arquétipos são artifícios que facilitam muito na hora de dar vida à uma marca, afinal, eles são realmente baseados em padrões estudados que existem.


Agora que você já sabe bastante sobre os 12 arquétipos de marca, já pode começar a aplicar nas suas estratégias de marketing e a iniciar o seu trabalho de branding e de relacionamento!

Gostou? Então, comente abaixo e continue de olho nos próximos conteúdos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba semanalmente as principais notícias e conteúdos sobre Marketing Digital.

Você pode gostar disso