Fazer benchmarking nada mais é do que adotar a máxima do “nada se cria, tudo se copia”. E se Chacrinha adaptou a frase do químico Lavoisier para a televisão, nada mais justo do que aplicar também ao marketing digital!

O post de hoje traz tudo que você precisa para entender o conceito de benchmarking a fundo e descobrir por que essa prática é tão importante para o sucesso de uma estratégia.

Também tem um passo a passo bem detalhado com todas as etapas que você precisa seguir para criar um processo de benchmarking bem estruturado. E, para terminar, algumas dicas de como usar os resultados para atingir seus objetivos de negócio 🙂

Vem que eu te mostro!

O que é benchmarking?

Benchmarking é o processo de comparar sua empresa com concorrentes para identificar oportunidades de melhoria. Em português, acho que um termo bem adequado é análise da concorrência.

Ou seja, é dar aquela olhadinha na grama do vizinho para entender por que ela é tão mais verde do que a sua — e tentar descobrir o que ele fez para chegar lá!

Claro que esse exemplo é bem limitado. Afinal, sabemos que todas as empresas têm seus pontos fortes e suas fraquezas.

Mas o benchmarking serve justamente para avaliar quais são.

Assim, você percebe no que o seu negócio se sobressai e consegue pensar em maneiras mais assertivas de utilizar ao seu favor. E quando descobre um eixo em que o concorrente leva vantagem, pode correr atrás de otimizar o seu lado.

Por que fazer benchmarking no marketing digital?

Se for parar para pensar, o objetivo básico do marketing é superar a concorrência. É justamente por isso que empresas inovadoras dão tão certo, não concorda?

Agora, é sabido que, se temos uma meta, precisamos traçar um plano para chegar lá. É justamente nessa parte que o benchmarking é útil. Afinal, ele esclarece qual é o cenário do mercado para a empresa entender no que precisa se destacar.

Além disso, fazer benchmarking mostra que você está olhando atentamente para o mercado, inserido no contexto de forma proativa, e não alheio ao que está acontecendo em volta de você.

Até porque você está buscando maneiras de otimizar o trabalho da empresa, o que é sempre uma boa prática para evoluir. Quem não inova dificilmente atinge novos patamares!

Outras vantagens de fazer benchmarking são:

  • embasa o planejamento estratégico e outras definições para o futuro com experiências do mercado;
  • mantém a humildade da gestão da equipe, criando uma noção de que sempre há espaço para melhorar;
  • motiva os colaboradores a atingirem os objetivos de negócio, já que a concorrência mostrou ser possível;
  • acelera a evolução da empresa, porque você tem uma boa noção do que não funciona;
  • traz outras perspectivas para o contexto da empresa, concebendo um espaço fértil para a colaboração.

Benchmarking no marketing digital: passo a passo

Agora vamos para a prática! Quando falamos de marketing digital, o benchmarking entra na fase de planejamento da estratégia e ajuda a embasar as ações concebidas pela gestão.

Alguns exemplos de definições que você pode fazer benchmarking para fundamentar:

1. Defina os objetivos

Como todo projeto de marketing digital, o benchmarking precisa de objetivos muito claros. Isso porque a maneira da qual você vai conduzir esse processo depende bastante de onde você quer chegar!

Pode ser embasar a estratégia de lançamento de um novo produto, ou fazer o planejamento estratégico do negócio para o próximo ano.

As possibilidades são infinitas. Antes de começar, garanta que todos os envolvidos no projeto estão cientes e de acordo com essa definição! Você vai ver que metade do alinhamento necessário já vai estar pronto por ali 🙂

2. Escolha as referências

Sabendo qual é o objetivo do benchmarking, fica bem mais fácil entender onde buscar referências. Nesta etapa, você precisa escolher 3 empresas, no mínimo, para compor o seu estudo.

3. Defina a metodologia

Agora, é hora de definir como seu projeto de benchmarking será aplicado na prática. Você pode conduzir os contatos diretamente (fazer entrevistas e conversar com os gestores, por exemplo) ou usar fontes de pesquisa, como conteúdos na web.

Muitas vezes, a opção viável acaba sendo a segunda. Até porque há uma chance bem grande de que a concorrência não queira compartilhar os “segredos” com a sua empresa!

Mesmo assim, vale a pena avaliar se existe alguma possibilidade de colaboração. Confia: o trabalho fica bem mais aprofundado e direcionado se você consegue alguma fonte primária!

Artigo relacionado: Conceitos, tipos e vantagens da inovação aberta

4. Estabeleça KPIs ou pontos de análise

Para direcionar sua pesquisa, você precisa estabelecer quais pontos quer aprofundar durante a realização do benchmarking. Já imaginou chegar ao final da conversa e perceber depois que não perguntou o que era mais importante?

Sendo assim, aqui é hora de selecionar alguns KPIs ou tópicos principais para guiar a coleta de dados. Lembrando que eles devem estar de acordo com o planejamento estratégico e com os objetivos do benchmarking!

5. Reúna os dados

Aqui, você vai coletar os dados do item 4 usando a metodologia do item 3. A parte mais importante é centralizar todas as informações em um lugar só e torná-las facilmente acessíveis para todos os envolvidos no projeto. Assim, o caminho fica livre para a análise!

6. Realize a análise e busque identificar tendências

Pode ter certeza: essa é a etapa mais longa do benchmarking 😅 É aqui que você senta para analisar os dados e procurar padrões entre eles. As tendências que você identificar serão o combustível para guiar a aplicação das melhores estratégias na sua empresa.

Uma dica: busque dividir a responsabilidade da análise com um colega. Afinal, duas cabeças pensam bem melhor do que uma, e outra pessoa pode pegar justo aquele ponto que você deixou passar. Em grupo, o benchmarking é bem mais produtivo do que individual!

7. Documente os resultados

Quando se trata da gestão de uma agência digital, a documentação é a alma do negócio. Ela serve para manter todos os colegas alinhados sobre as definições de estratégias e fluxos de trabalho.

Além de segurar a barra quando há trocas na equipe, a documentação ainda facilita muito o dia a dia de todos os profissionais!

Por isso, a dica é documentar todo o processo de análise dos dados do benchmarking.

Isso vai ajudar você a começar com o pé direito e ter mais agilidade no processo quando precisar conduzi-lo de novo, o que pode ser antes do que você imagina!

Também é uma boa destacar quais as principais conclusões que foram tiradas a partir do benchmarking. Além de solidificar o trabalho realizado, pode ser uma boa oportunidade para compartilhar os resultados com o resto da empresa!

E o último passo: fazer tudo novamente!

Um dos maiores erros dos gestores é achar que o benchmarking precisa ser feito uma vez na vida, e depois nunca mais. Que nada! Assim como outros tipos de planejamento, ele precisa ser revisto de acordo com a frequência definida pela estratégia geral da empresa.

Afinal, o mercado está mudando mais rápido do que nunca, e é preciso ficar de olho para não deixar as oportunidades passarem.

Leia nossos outros artigos sobre marketing digital para ficar por dentro das tendências e até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba nossos melhores conteúdos por e-mail.

Você pode gostar disso

Calendário de marketing 2021: principais datas e relevâncias

Pensando no ano que já está acabando e no que ainda está…

Sua campanha de Natal precisa dessas 6 ações de marketing digital para vender mais

O final do ano está chegando e, com ele, a procura por…

Os 12 melhores canais de Marketing Digital no YouTube

Ler é muito bom, mas quem não gosta de assistir vídeos sobre…

Saiba como ter sucesso com o marketing multicanal

Quer saber como o marketing multicanal pode fazer a diferença para sua empresa? Leia este post e entenda como aplicar essa estratégia.