Imagine o seguinte cenário: João tem uma loja física e resolveu vender no virtual. Ele investiu para ter um site, um e-commerce e perfis nas redes sociais. Fez tudo sozinho e até incluiu a empresa no Google Meu Negócio para ganhar visibilidade. No entanto, não atingiu os resultados esperados. Por quê? A resposta está na gestão de marketing.

É bem possível que você tenha se identificado com o João. Afinal, o número de lojas virtuais está em franco crescimento. Para ter uma ideia, de janeiro a junho de 2020, 107 mil novos e-commerces foram criados no Brasil. Isso dá uma média acima de 1 novo estabelecimento online por minuto.

O movimento já vinha crescendo, mas se intensificou com a pandemia do coronavírus. Nesse cenário, as vendas online se fortaleceram. Tanto é que a média anterior à crise sanitária era de 10 mil lojas virtuais por mês.

O que a gestão de marketing tem a ver com esse cenário?

Tudo! Essa prática determinará quais ações trarão mais efeitos para o seu negócio e quais ajudarão a alcançar os objetivos estratégicos traçados.

No entanto, a gestão precisa abranger o marketing multicanal, sem focar apenas no digital. Ela também controla as ações do marketing offline, que também pode agregar valor, quando bem trabalhado.

Por isso, a saída para se destacar da concorrência, conquistar competitividade e trabalhar a inteligência de negócios passa pelo gerenciamento das ações de marketing.

Dicas para aplicar a gestão de marketing na sua empresa

Para entender melhor essa relação, criamos este post. Aqui, você vai saber por que vale a pena investir nessa estratégia a partir de 7 passos principais.

1. Entenda o que é gestão de marketing

A gestão de marketing é o processo de criação, controle e efetivação do plano de marketing para gerar oportunidades de negócio. Aqui, está incluído o gerenciamento de pessoas, processos e estratégias. Por isso, a ideia é identificar as demandas do público-alvo da empresa e adaptar as ações, a fim de entregar valor.

Portanto, o gerenciamento abrange mais do que o consumidor. Também envolve colaboradores, investidores, acionistas, parceiros, fornecedores e toda a sociedade. Ou seja, os chamados stakeholders.

Ao avaliar todas essas variáveis, a chance de ter resultados melhores aumenta. Por isso, o motivo dos problemas do João é a gestão do marketing. Observe que, no exemplo, ele apenas criou o canal de vendas virtual e os perfis nas redes sociais.

Por mais que essa medida seja importante, os resultados só aparecem com a aplicação de uma boa gestão. Assim, é possível entender o que os leads (potenciais clientes) querem e atender às suas demandas.

2. Conheça os benefícios da gestão de marketing

Mais do que entender o conceito de gestão de marketing, é importante entender as vantagens da prática. Afinal, esses são os motivos que fazem o investimento ser necessário. Entre os benefícios, podemos destacar:

  • conhecimento profundo do mercado, a partir de uma pesquisa de mercado bem estruturada. Isso porque é possível descobrir as principais informações de concorrentes, públicos e do macroambiente em que sua empresa está inserida. Assim, é possível alcançar melhores resultados;
  • fortalecimento da relação com os consumidores. Dessa forma, é estabelecida uma conexão mais duradoura e sólida;
  • eficiência nos processos, porque as estratégias e o fluxo de trabalho ficam bem estabelecidos;
  • foco nos resultados do negócio, devido ao alinhamento dos objetivos de marketing aos estratégicos a serem alcançados;
  • motivação da equipe, já que todos os colaboradores sabem o que fazer e como suas atividades contribuem para os resultados;
  • geração de insights. Ao descobrir as informações do público-alvo e da concorrência, é possível encontrar oportunidades e gerar insights.

3. Aplique os pilares da gestão de marketing

A estratégia depende de duas atividades-chave para ser aplicada. Elas são:

  • marketing estratégico: abrange as decisões de longo prazo. Inclui a análise do mercado, o diagnóstico da empresa, a segmentação de clientes e o posicionamento da empresa. Assim, você sabe direcionar suas ações para alcançar melhores resultados;
  • marketing operacional: é a concretização das estratégias. Foca o curto prazo, mas com vistas ao longo prazo. Entre suas atividades principais estão decisões para cada segmento-alvo, gestão do orçamento e definição de responsabilidades e cronogramas.

4. Saiba o que essa estratégia faz

O trabalho do gestor de marketing é abrangente. Ele controla os recursos financeiros, humanos e de tempo. Somente dessa forma é possível equilibrar as variáveis e chegar aos produtos e serviços mais adequados ao público-alvo.

Dentro desse contexto, as principais ações para uma boa gestão de marketing são as seguintes:

  • gestão de equipes: o objetivo é gerenciar os recursos humanos para selecionar os melhores colaboradores para a gestão do marketing;
  • gestão de orçamento: pretende direcionar o investimento para obter o melhor retorno;
  • definição de pessoal: define quais profissionais trabalharão no desenvolvimento e execução do plano de marketing;
  • escolha de ferramentas: seleciona programas, editores e CRMs (softwares de gerenciamento de clientes) para facilitar o trabalho. Além disso, verifica métodos e sistemas. Por exemplo, design thinking, ciclo PDCA, 5Ps do marketing e mais;
  • divulgação: abrange o investimento nos diferentes canais, como redes sociais, site, rádio, panfletos, posts patrocinados e mais;
  • planejamento e execução da estratégia: abrange a elaboração do planejamento e sua execução;
  • diagnóstico: identifica vários detalhes sobre a empresa, como os mercados de atuação, seu posicionamento, a percepção de clientes, colaboradores e concorrência etc.;
  • definição de objetivos: delimita o que deve ser alcançado em curto, médio e longo prazo;
  • estudo de mercado: busca saber onde a empresa deseja chegar e quais caminhos ajudarão a atingir o propósito. Para isso, a pesquisa abrange clientes, fornecedores, concorrentes e mais agentes que interferem no negócio;
  • definição de cronograma: sinaliza as datas a serem seguidas para que o planejamento dê certo;
  • delimitação de indicadores: a análise deve recair sobre aqueles que fazem mais sentido para o alcance dos objetivos traçados.

5. Defina metodologias

A ideia é selecionar quais metodologias de gestão empresarial ajudarão a atingir os objetivos estratégicos da gestão de marketing. Algumas possibilidades são:

  • agile marketing: é uma adaptação da metodologia ágil para o marketing. O objetivo é trabalhar com sprints, ou seja, ciclos curtos. Ainda são aplicados planos flexíveis e iterações. Assim, é possível estabelecer a colaboração, a abordagem não-linear e o foco no consumidor;
  • waterfall: é a metodologia tradicional de gestão de projetos. Estabelece uma abordagem sequencial e linear. Isso porque uma etapa só começa quando outra termina;
  • 5W2H: é focada em planos de ação rápidos e eficientes. Por isso, define as tarefas a partir as perguntas: o que, por que, quem, onde, quando, como e quanto custará o projeto;
  • ciclo PDCA: visa à melhoria contínua dos processos por meio do planejar, fazer, checar e agir.

6. Delimite o posicionamento da marca

Esse é o objetivo para agregar valor ao negócio. Para isso, é feito o direcionamento do segmento de atuação no mercado, o direcionamento, o posicionamento e como isso influencia a criação das campanhas.

Para chegar a esse patamar, o foco é o branding. Assim, sua empresa pode se diferenciar da concorrência. Além disso, torna-se mais sólida e tem mais chances de aumentar sua lucratividade.

7. Saiba mensurar os resultados

Tanto na gestão de marketing online quanto offline é preciso mensurar os resultados. Essa é a única forma de saber se as ações estão dando certo ou se é preciso fazer ajustes.

Aqui, é importante delimitar os indicadores certos. Isso é bastante particular, já que cada situação exige KPIs diferenciados. Por exemplo, se o seu objetivo é vender mais, pouco adianta utilizar indicadores para saber se aumentou o número de seguidores nas redes sociais.

Por mais que o segundo dado seja relevante, ele nem sempre impacta as vendas diretamente. Nesse caso, é preciso avaliar o total de leads gerados, a quantidade de leads qualificados, qual foi o percentual de leads que se tornaram verdadeiramente clientes etc.

Tenha em mente que a definição de indicadores deve focar a qualidade. Nunca tenha um grande número de KPIs, porque isso confunde mais do que ajuda. É importante ter precisão.

Conclusão

Agora que você sabe o que é gestão de marketing e como aplicar no seu negócio, saiba que pode contar com uma assessoria especializada. Assim, há mais chance de ter bons resultados na sua empresa.

Quer mais dicas úteis para seu negócio? Curta os perfis da Mateada no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba nossos melhores conteúdos por e-mail.

Você pode gostar disso

Inovação incremental: por que e como usar no meu negócio?

A inovação incremental é o tipo de inovação usado com mais frequência…

O que é gestão empresarial? Quais tipos existem?

Gestão empresarial é outra daquelas expressões que caíram na boca do povo…

O que é inovação disruptiva?

Falar em inovação disruptiva no mundo dos negócios já é quase como…

Miniguia do planejamento estratégico: entenda como colocar em prática na sua empresa

Toda empresa precisa de um planejamento estratégico. Entenda como ele funciona e quais são os passos para aplicar.