Profissional de SEO usando a ferramenta do Google Search Console
Fonte: Unsplash

Nesta segunda-feira (31), o Google lançou uma nova API do Google Search Console. Agora, a seção de inspeção de URL estará disponível para integração com ferramentas de terceiros.

O que é a inspeção de URL?

A inspeção de URL fica no cabeçalho do Google Search Console. Você insere qualquer URL da propriedade e recebe um overview sobre suas características:

Screenshot da ferramenta de inspeção de URL do Google Search Console
Ferramenta traz resumo sobre propriedades da página (Fonte: Google Search Console)
  • Status de indexação (se a URL está no Google ou não);
  • Cobertura (dados do último rastreamento, incluindo sitemap e URL canônica);
  • Ver a página rastreada (HTML renderizado, captura de tela e outras informações sobre o carregamento da página);
  • Facilidade de uso em dispositivos móveis;
  • Teste de dados estruturados (como breadcrumbs e caixa de pesquisa de sitelinks, no exemplo);
  • Teste da URL publicada (traz as mesmas informações, mas com teste em tempo real).

Para quem a API de inspeção de URL é útil?

Sobre os públicos que podem usar a API de inspeção de URL, o Google indicou:

  • Ferramentas e agências de SEO podem fornecer monitoramento contínuo para páginas importantes e opções de debugging para páginas específicas. Por exemplo, é possível checar se existem diferenças entre as URLs canônicas definidas pelo usuário e selecionadas pelo Google, ou fazer o debugging de problemas de dados estruturados em um grupo de páginas.
  • Desenvolvedores de plataformas de CMS e plugins podem trazer insights a nível de página ou template, e checagens para páginas existentes. Por exemplo, é possível monitorar mudanças ao longo do tempo para páginas importantes e ajudar a diagnosticar problemas e priorizar otimizações.

Como usar a API de inspeção de URL?

Como de praxe, há uma documentação completa sobre o uso da API. Veja também a lista de parâmetros e a explicação para cada resultado de requisição.

No geral, a ferramenta traz dados sobre status de indexação, AMP, rich results e usabilidade em dispositivos móveis.

Ademais, existem limites de uso para a API. Só é possível fazer 2.000 requisições por dia, com, no máximo, até 600 requisições por minuto. O teto é reforçado pela identificação da propriedade do Google Search Console.

Leia o artigo de lançamento na íntegra para saber mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba semanalmente as principais notícias e conteúdos sobre Marketing Digital.

Você pode gostar disso