Ter um blog traz muitos benefícios a qualquer empresa, e a maior vantagem é que pode ser feito por qualquer tipo de marca. Mas quais são esses benefícios no detalhe? E a parte mais complicada: como colocar tudo em prática para criar um blog corporativo?

Calma, nós vamos ajudar! A criação é um processo sem muitos mistérios, mas pode ser um pouco complexo no início.

Afinal, como qualquer coisa na vida, manter um blog requer esforço e dedicação para que se tenha os resultados esperados.

Para ter autoridade e confiança do público, é importante tomar cuidado com algumas escolhas e não começar de qualquer forma.

Por isso, vamos fazer um checklist com tudo o que precisa ser visto antes da criação, o que envolve a escolha do assunto, a definição da plataforma e até mesmo o design. Ficou curioso? Vem com a gente!

O que é um blog corporativo? Para que serve?

O blog corporativo é o canal mais rápido e eficaz que ajuda a sua empresa a ficar mais próxima do cliente.

Ele ajuda na construção e solidificação de uma imagem positiva dentro do mercado. Além disso, é um meio de tornar possível a comunicação direta entre você e consumidor, além de aumentar a visibilidade com custos baixos, porém muito efetivos.

Ele é encontrado na internet, principalmente dentro de sites especializados, e anda junto às redes sociais e os mecanismos de busca, como o famoso Google. Nele, é possível (e necessário) publicar conteúdos relevantes, notícias e informações sobre seus produtos ou serviços.

Alinhado a uma boa estratégia de marketing digital e conteúdo, um blog corporativo acaba se tornando uma ótima ferramenta de comunicação. Afinal, a linguagem pode fugir do discurso formal e abordar os clientes de maneira mais leve, descontraída e pessoal.

Quais são as principais vantagens do blog empresarial?

As vantagens do blog empresarial são tantas que criamos um post especial para falar disso (é só clicar no link para conferir!). Mas trouxemos um resuminho para você já ter uma noção. Dá só uma olhada:

Público-alvo com maior engajamento

O público valoriza (e muito) a produção de conteúdos que agregam algo em suas vidas.

Se o seu blog for útil para alguém, as chances dessa pessoa começar a interagir com a empresa de alguma forma são enormes. Pode ser por comentário no post ou até mesmo o compartilhamento do conteúdo. A ação pode e trará novos clientes!

Gera credibilidade

Criar textos, posts ou vídeos que ajudarão na solução de problemas do público é um ótimo jeito de fazer com que a sua marca seja lembrada.

Quando o leitor sente confiança no material e consegue absorver a informação de forma positiva, a sua empresa ganha muita credibilidade com a pessoa. Sendo assim, é provável que ela volte a consumir seus conteúdos e, no futuro, os produtos e serviços.

Traz um bom posicionamento nos mecanismos de busca

Fazer conteúdos que sejam atraentes e publicar com frequência é uma estratégia que pode aumentar o posicionamento da sua página no ranking do Google quando alinhada com técnicas de SEO.

Essa é uma das maneiras de conseguir um destaque maior do que a concorrência e atrair mais tráfego para o seu site, aumentando sua visibilidade.

Pode ser feito por todos

Independentemente do seu ramo ou do tamanho da empresa, você pode fazer um blog corporativo.

Além de todos esses motivos que citamos acima, ele também educará o cliente e irá auxiliá-lo em toda a sua jornada de compra, tornando-o um consumidor em potencial da sua marca.

Passo a passo para criar um blog corporativo

Planeje a estratégia

Esse é o ponto de partida: qual vai ser o tema do seu blog corporativo? Faça o planejamento de marketing de conteúdo para entender seu público e, então, trazer assuntos relevantes para ele.

Para isso, defina os pontos a seguir:

Persona

A persona é uma personificação do cliente ideal da sua empresa, ou seja, a quem seu produto ou serviço melhor atende.

Se o conteúdo não impacta a persona, ele não traz resultados. De maneira direta, essa é a regra principal quando criamos conteúdo. Você pode até ter engajamento de um outro tipo de público, mas não terá resultados.

A internet proporciona isso, de as pessoas decidirem o tipo de conteúdo que vão consumir. Com isso, você tem que estar focado no tipo de conteúdo que sua persona vai buscar e principalmente, dar atenção!

Por exemplo: imagine que você tem uma clínica médica. O conteúdo gerado tira as dúvidas das pessoas, mostra a origem de alguns sintomas e possíveis tratamentos, sempre deixando claro a importância de procurar um médico.

Caso esta pessoa esteja com alguma patologia ou sintoma específico, ela irá ler o conteúdo e ver mais valor em sua empresa. Com isso, as chances de ela vir a se tornar uma cliente de sua empresa são muito maiores.

Funil

O funil de vendas separa as etapas da jornada do consumidor com o objetivo de mapear as interações do lead com a sua empresa até que ele se torne um cliente.

Com isso, o conteúdo criado em seu blog corporativo precisa seguir essa lógica para guiar o consumidor à conversão.

  • No topo do funil, temos conteúdo mais amplo, generalista. Ele serve para atrair as pessoas e gerar um engajamento com a marca.
  • No meio do funil, temos conteúdo um pouco mais específico e que tira dúvidas mais complexas do visitante.
  • No fundo do funil, é que teremos o conteúdo focado na solução e na conversão.

Ah, e uma consideração sobre conteúdo de fundo: muitas empresas ficam receosas em criar conteúdo que ofereça uma solução, por acharem que isso pode fazer com que as pessoas não as contratem ou não comprem seus produtos.

Mas isso não acontece na prática. Se as pessoas estão buscando uma solução, é natural que elas cheguem mais perto de quem a possui, não é mesmo?

Se o seu produto for visto como algo de valor e que realmente traz resultados, você terá muito mais possibilidades de conseguir bons clientes.

A única coisa que você precisa se certificar é de oferecer na hora certa. Afinal, não adianta forçar seu produto em alguém que ainda nem percebeu que tem um problema.

Defina a plataforma

O jeito mais fácil e prático de criar e gerenciar um blog é com um gerenciador de conteúdo. Esse nome pode até não ser familiar para você, mas estamos falando de plataformas como o famoso WordPress.

Antes da escolha, é importante pesquisar sobre todos os recursos que cada uma oferece.

Valorize aquelas que são amigáveis ao SEO, verifique as opções de layout, interface e até mesmo os recursos adicionais para constantes melhorias das páginas do seu blog.

O WordPress oferece muitas vantagens e é muito fácil de usar, mesmo para quem é leigo na área. Nossa recomendação é que você opte por ele, a não ser que tenha alguém mais experiente na equipe que sugira outra plataforma e possa fazer o gerenciamento.

Selecione o domínio

Antes de criar o blog, é essencial fazer um planejamento e incluir o valor de compra de um domínio próprio. Ele é um fator que vai influenciar na sua autoridade e na segurança da sua página.

Afinal, os domínios gratuitos podem não passar confiança para os visitantes.

Além disso, com um domínio próprio, você não vai precisar ter a preocupação de perder o endereço do blog para outra empresa que queira escrever sobre o mesmo assunto.

Se você já possui um site para sua empresa, o blog pode ficar em um diretório (https://www.empresa.com.br/blog) ou subdomínio (https://blog.empresa.com.br).

Saiba que o ideal é manter tudo no mesmo domínio ao invés de criar do zero (https://www.blogdaempresa.com.br) para sinalizar com facilidade ao Google que se trata da mesma empresa.

Escolha um tema

Você pode pensar que esse é um fator meio bobo nesse checklist de criar um blog corporativo, mas não se engane!

O lado visual é muito importante, principalmente para garantir uma boa experiência ao cliente. Afinal, ele vai consumir o seu conteúdo, e é importante que se sinta confortável para passar bastante tempo lendo os textos do seu blog.

Existem muitos templates otimizados para todo tipo de uso, sejam eles pagos ou gratuitos.

Alguns bons lugares para buscar são o Theme Forest, Elegant Themes e a própria galeria do WordPress. O processo para escolher um tema para WordPress não é complicado! Seu principal desafio é adequar o tema ao uso.

Estruture o layout

A verdade é que não adianta publicar conteúdo para blog em um site disfuncional e esperar que bons resultados apareçam. Se a estrutura não estiver organizada de forma a guiar o usuário para a conversão, a estratégia de conteúdo se perde.

Pense no seu blog corporativo como uma sala de exposições.

Ele não é o lugar onde as pessoas compram produtos ou contratam seu serviço diretamente. Entretanto, é onde aprendem sobre você, veem o que você tem a oferecer e decidem se desejam ou não se envolver com você.

No entanto, muitas empresas tratam seu blog como um repositório de conteúdo, e não como a valiosa ferramenta de geração de leads que ele realmente é.

Isso é um desperdício, porque as pessoas que visitam um blog representam um público cativo que está interessado no que você tem a dizer. E isso significa que elas estão no caminho para a conversão, que neste caso pode ser:

  • Inscrever-se na sua lista de e-mails;
  • Clicar em uma oferta em seu blog;
  • Receber redirecionamento de anúncios posteriormente.

Dito isso, é claro que a estrutura do blog empresarial desempenha um papel muito importante na estratégia de conversão. Ela serve como um guia para direcionar o leitor à ação que se espera dele.

A boa notícia é que a maioria dos blogs de sucesso geralmente usa a mesma configuração comprovada. Vamos ver como ela funciona?

Cabeçalho

O cabeçalho fica no topo do blog corporativo e contém a barra de pesquisa, seções que categorizam os conteúdos e links para mídias sociais.

Todos os sites possuem cabeçalho e os visitantes o utilizam para navegar mais facilmente pelo seu blog. Portanto, não deixe de incluí-lo!

Todo blog de alta conversão usa uma barra lateral, porque é a única área em que você pode colocar elementos consistentes de geração de leads.

O motivo é simples: as pessoas leem da esquerda para a direita e nossos olhos frequentemente param na barra lateral. Portanto, é o lugar perfeito para fazer ofertas.

Blogs que não usam barras laterais estão perdendo uma enorme vantagem e, literalmente, jogando dinheiro fora.

Então, é fundamental que você promova seu serviço da melhor forma na barra lateral. Se você vende um produto físico, também deve usar esta área para divulgá-lo.

Conteúdo

A área de conteúdo inclui o conteúdo efetivamente —  artigos ou vídeos. Muitas vezes essa área é negligenciada em seu potencial de geração de leads, mas isso é um erro.

Afinal, é aqui que os clientes em potencial estarão olhando com mais frequência.

Dependendo do estágio do cliente no funil (vamos falar mais sobre isso a seguir), os produtos ou serviços podem ser oferecidos a partir da área de conteúdo. Você pode colocá-los dentro das próprias postagens ou abaixo da postagem.

Se você tem um blog para e-commerce, é absolutamente necessário vincular seus produtos nas postagens. Afinal, os leitores estão realmente interessados nos tipos de produtos que você está vendendo.

Ou seja, não oferecer produtos a eles é como convidar compradores para uma loja com prateleiras vazias.

Rodapé

O rodapé do blog é outra parte frequentemente negligenciada. Porém, os usuários costumam rolar até o rodapé para encontrar informações da empresa.

Portanto, este é um local natural para mostrar uma oferta. Nesse caso, a oferta deve ser mais sutil, simplesmente porque o espaço está mais cheio.

Instale os plugins

Plugins são muito úteis para trazer funcionalidades extra ao seu sistema de gerenciamento de conteúdo.

Mas antes de sair instalando tudo o que você vê pela frente, pense que, quanto mais recursos a página tiver, mais tempo ela vai demorar a carregar.

É claro que isso vai prejudicar a experiência do usuário e, em consequência, o seu ranqueamento nos sites de buscas.

E uma dica: não existe uma lista absolutamente correta do melhor ou pior plugin. No máximo, sugerimos instalar o Yoast, um plugin de SEO que vai ajudar bastante na execução das suas estratégias.

A escolha dos outros vai depender muito do seu objetivo, portanto, pesquise!

Defina os assuntos

Agora é a hora mais esperada! Escolha o conteúdo de cada publicação e trate de assuntos que você e a sua equipe dominam.

Lembre-se de que o conteúdo é como uma ponte. Quanto mais forte e sólido ele for, melhor.

Portanto, para criar conteúdo que realmente traga valor para seu negócio, é fundamental entender que o foco precisa ser o leitor, o cliente em potencial.

Ninguém clica em um link na internet para ver propaganda da sua empresa. As pessoas buscam soluções e informações. Isso é o que faz do marketing de conteúdo uma solução para todos os mercados.

Por isso, toda a construção do conteúdo do blog corporativo deve ser pensado neste cenário, em como ele pode ajudar o cliente em potencial a resolver um problema e ver na sua marca, uma solução.

Isso envolve autoridade e principalmente, foco no que o cliente espera.

Além disso, todos os conteúdos devem ser otimizados para SEO. Para garantir que as pessoas estão efetivamente buscando pelos textos que você vai produzir, todos precisam ter uma palavra-chave. Você pode defini-las a partir de ferramentas como:

  • planejador de palavras-chave do Google;
  • Ubersuggest;
  • Keyword Tool;
  • Semrush.

Produza os textos

Antes de continuar a estratégia, entenda como você vai conduzir a produção de textos. Você pode encontrar um redator freelancer, criar uma equipe de conteúdo interna ou contratar uma agência de produção de conteúdo.

Seja qual for a sua escolha, garanta que os textos sigam as dicas a seguir!

Os conteúdos devem ser escaneáveis e legíveis, divididos em frases e parágrafos mais curtos para facilitar a leitura. Podemos usar listas e outros tipos de mídia, como vídeos, infográficos e imagens, para enriquecer ainda mais a informação.

Mas o mais importante disso tudo é o conteúdo em si, ou seja, o que você está passando para seu leitor. Se for um texto bem dividido, mas que fala mais do mesmo, sem ser claro e objetivo, ele não trará resultados.

Conclusão

E aí, o checklist de como criar um blog passo a passo foi útil? Neste conteúdo, conseguimos ver o quanto é importante seguir cada um deles: desde a escolha do assunto, até o design e a condução da estratégia.

Tudo isso vai influenciar quem está navegando a se interessar mais e ler todos os conteúdos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba semanalmente as principais notícias e conteúdos sobre Marketing Digital.

Você pode gostar disso