Mais do que somente um repositório de conteúdo, o blog pode ser uma ferramenta poderosa para aquisição de tráfego orgânico. Isso, é claro, se todas as melhores estratégias de SEO para blog forem aplicadas corretamente!

Neste conteúdo, vamos explicar as técnicas básicas que você pode usar para dar seus primeiros passos na otimização para mecanismos de busca de um blog.

Garanto que você vai sair daqui com ideias práticas para botar a mão na massa assim que possível! Agora, sem mais delongas, vamos para o conteúdo 🙂

O que é SEO para Blog? Conceito básico de Search Engine Optimization

Em inglês, a sigla significa Search Engine Optimization. Já em bom português, otimização de sites para mecanismos de busca.

Ou seja, SEO é um conjunto de técnicas de otimização aplicadas em um site para melhorar seu posicionamento nos mecanismos de busca. E, consequentemente, atrair mais tráfego orgânico.

Por quê? Quando a página de um site está otimizada e atende à necessidade do usuário, ela obtém um bom posicionamento nas páginas de resultados de mecanismos como o Google e o Bing.

Com isso, o número de visitas orgânicas começa a crescer. Juntamente com a credibilidade do site e a autoridade de mercado da empresa!

E estar entre as primeiras posições importa mesmo?

Importa sim, e muito! Para você entender melhor como o posicionamento interfere na aquisição de tráfego orgânico, saiba que 76% das pessoas clicam em um dos três primeiros resultados.

Afinal, quem está no topo é tido pelo usuário como detentor de credibilidade e autoridade.

Do ponto de vista de quem busca e do próprio algoritmo do Google, o primeiro conteúdo é mais relevante do que o último. Se eu não encontrar o que eu preciso por lá, aí sim, há uma chance de eu buscar em outro lugar.

Ou seja, não basta nem estar na primeira página. Você precisa atingir uma das primeiras posições se quiser ter o SEO como uma das principais fontes de tráfego do blog.

Gráfico mostrando a média de CTR de acordo com o posicionamento da SERP do Google
O resultado #1 tem 10x mais cliques do que o resultado #10 (Fonte: Backlinko)

Ok! Agora você entendeu o valor de boas posições orgânicas, e já sabe por que o blog deve estar ali. Mas como otimizar o site e os posts para chegar lá?

É a pergunta de um milhão de dólares. Entretanto, o primeiro passo para obter essa resposta é compreender como os mecanismos de buscas indicam essas posições.

O que o Google considera para ranquear as páginas? Fatores de SEO para blog

Muito se fala dos fatores de ranqueamento do Google, mas pouco se realmente entende sobre eles. Afinal, o funcionamento do algoritmo não é de total conhecimento dos profissionais de SEO.

Entretanto, é possível inferir algumas questões que influenciam no posicionamento de uma página. Veja as principais na sequência:

Palavra-chave

O primeiro passo para otimizar uma publicação é definir qual palavra-chave será utilizada como principal guia para desenvolvimento de todo o conteúdo.

Para isso, é necessário realizar uma pesquisa para encontrar o termo que melhor converse com o que os leitores estão buscando e o que o conteúdo oferece.

Uma dica nessa pesquisa é não focar apenas em termos curtos e que possuem grandes números de buscas. Trabalhar com palavras-chave long tail também pode gerar bons resultados para você, já que são mais específicas e possuem baixa concorrência.

Com a frase-chave definida, procure utilizá-la nos seguintes pontos:

Title

O Title é um dos principais itens avaliados pelos mecanismos de busca para entender do que se trata o conteúdo de uma página. Sendo assim, também é um dos mais importantes.

O uso da palavra-chave aqui é mais do que obrigatório. De preferência, o termo deve estar à esquerda, no início do Title. E entre os 65 caracteres iniciais, pois é o limite aproximado de exibição do Google na SERP.

URL

A URL da página também é verificada pelos motores de buscas nos primeiros instantes do rastreamento. Lembre-se de incluir a palavra-chave aqui, mas não hesite em tornar a URL mais agradável. Ou seja, preze pela objetividade e evite criar URLs muito longas.

Meta Description

Aqui, o uso da palavra-chave não é obrigatório, já que a Meta Description não influencia diretamente no ranqueamento orgânico.

Entretanto, é o contato mais publicitário com o seu potencial visitante. É ali que você vai convencê-lo a clicar no seu resultado, e não nos outros que povoam a SERP.

De qualquer maneira, vale lembrar que a Meta Description vem perdendo cada vez mais relevância para SEO com o passar do tempo. Afinal, o Google ignora a tag e reescreve com conteúdo da página em mais de 70% das vezes.

Conteúdo

À medida que o objetivo do Google é fornecer informações especializadas para os usuários, pode-se assumir que a qualidade do conteúdo é um dos principais fatores de SEO para blog.

E não é só ele! Todos os mecanismos de busca exigem artigos originais, aprofundados e competentes. Para para desenvolvê-los, é importante dar atenção aos seguintes itens:

Planejamento

Quando você vai traçar a rota para uma viagem de carro, precisa saber qual é o seu destino, certo? A mesma premissa vale para qualquer ação de marketing, incluindo o conteúdo.

A etapa do planejamento é essencial porque ajuda a estabelecer a base da estratégia.

Você reflete com calma sobre os objetivos que deseja atingir com o conteúdo, e isso ajuda a entender quais caminhos são mais efetivos para chegar lá.

Além disso, grande parte do planejamento inclui entender quem é a persona ideal para o seu blog. Assim, as estratégias de elaboração de conteúdo ficam mais assertivas, pois você aprende quais elementos aplicar para o seu público específico.

Palavra-chave (de novo!)

Assim como os itens apontados anteriormente, a palavra-chave obrigatoriamente também deve estar presente no conteúdo que você irá escrever. De preferência, utilize-a:

  • no primeiro parágrafo, para sinalizar de cara o tema do conteúdo;
  • nos subtítulos (heading tags);
  • e ao longo do texto, distribuída com equidade.

Também é bom usar variações da palavra-chave, que englobem os diferentes termos de busca que possuem as mesmas intenções e necessidades.

Mas, atente-se a esta dica muito importante: não abuse da repetição da palavra.

Essa prática é vista negativamente pelos mecanismos de busca e pode gerar punições ao seu site. Para evitar isso, use e abuse de sinônimos ou variações dela.

Legibilidade e escaneabilidade

Estes dois conceitos são imprescindíveis para qualquer conteúdo digital, mas especialmente para textos de blog! Primeiro, entenda a diferença entre eles:

  • A legibilidade indica o quão fácil é para ler e compreender o conteúdo de um texto;
  • Já a escaneabilidade favorece a leitura dinâmica do texto através da estrutura.

Ambas são tão importantes devido aos modos atuais de consumo de conteúdo na internet.  Afinal, o visitante navega brevemente pela sua página.

Às vezes, ele vai dar uma olhada por cima, pescar a informação que está buscando e sair.

Em outros momentos, talvez ele busque um aprendizado mais profundo. Nesse caso, pode se convencer da qualidade do seu conteúdo e voltar ao topo da página para iniciar a leitura do artigo.

Para isso, alguns pontos são necessários serem seguidos para criar um conteúdo agradável aos usuários, como:

  • Dividir o conteúdo em subtítulos;
  • Não escrever parágrafos muito longos;
  • Apresentar outros tipos de mídia em seu texto, como fotos e vídeos;
  • E aplicar técnicas de formatação.

Mesmo não sendo um fator direto de ranqueamento, se seguido corretamente, ele auxilia em muito o seu SEO para blog e melhora a experiência do usuário.

Receber links de sites relevantes e bem vistos pelos mecanismos de buscas é essencial para melhorar o desempenho do SEO para blog. É o que conhecemos como link building!

Entretanto, o que pouca gente sabe e faz, é que vincular esses links no seu blog também.

No caso dos links internos, você ajuda a manter os seus visitantes por mais tempo em seu site. Eles podem ir clicando de artigo em artigo para aprofundar seus conhecimentos sobre um determinado tema.

Além disso, a linkagem interna aponta a relevância de algumas páginas para determinadas palavras-chave.

Por exemplo, se eu coloco um link para mateada.com com o texto-âncora Portal de Conteúdo de Marketing Digital, o Google entende isso como um sinal de que é disso que a página de destino trata.

Agora, quando se trata dos links externos, eles são essenciais para conferir credibilidade às informações que você usa em seus artigos.

Garanto que nem tudo sai da sua cabeça, não é mesmo? Especialmente quando estamos falando de dados ou outras informações sensíveis, precisamos apontar as referências. É como na escrita científica: tudo precisa estar embasado!

Nesse caso, apontar para uma outra página de alta relevância ajuda o Google a entender que você tirou sua informação de lá.

E, consequentemente, seu próprio artigo se torna mais relevante também.

Responsividade e performance

Já está bem claro que ter sites responsivos (ou, ao menos, amigáveis para dispositivos móveis) influencia no desempenho dos mecanismos de busca.

Tanto que é um dos fatores de experiência na página, usado pelo Google como um sinal de ranqueamento a partir de 2021 (mobile) e 2022 (desktop).

E por que isso é tão importante? 63% das buscas no Google são feitas no mobile.

E, mais do que isso. 79% dos usuários diz que fica mais propenso a voltar a um site ou compartilhá-lo com amigos e familiares se ele for fácil de usar no mobile.

Acho que já deu para entender que facilitar a navegação do blog no mobile é absolutamente essencial, né? E vale lembrar que isso inclui não só a compatibilidade com os dispositivos móveis, mas a performance de carregamento também.

Afinal, de nada vale o SEO para blog ser redondinho e o site ser responsivo, se ele carrega lentamente e fornece uma má experiência para o usuário.

Por isso, leve em consideração o desempenho quanto aos Core Web Vitals. Se você ainda não conhece o conceito, saiba que são um conjunto de métricas que medem a experiência do usuário e o desempenho de carregamento de uma página da web.

Com atenção para esses dois tópicos, seu blog vai performar melhor nos mecanismos de busca e agradar os usuários.

Como saber se fiz o SEO para blog corretamente?

Essa pergunta não é tão complicada de ser respondida, caso você se atente a tudo que foi apontado nesta publicação. Fora que os resultados também são uma boa maneira de atestar o quão certeira foi a sua estratégia!

Mas o tráfego orgânico leva tempo, né? E enquanto ele não chega?

Caso você não se sinta seguro em relação ao trabalho de SEO para blog que realizou, um plugin do WordPress poderá te auxiliar.

O Yoast SEO realiza uma análise técnica apontando o que está correto e o que necessita de melhorias em sua publicação.

Além disso, o plugin também realiza uma análise de legibilidade, te auxiliando no desenvolvimento de um conteúdo escaneável e que agrade a experiência do seu leitor visitante.

Vale lembrar que o Yoast é só uma ferramenta para ajudar a direcionar a otimização, viu? Deixar todos os pontos verdinhos não garante um bom desempenho.

Antes de tudo, pense na experiência do usuário que está lendo o seu conteúdo, e tende atender às suas necessidades.

Conclusão: você está pronto para aplicar o SEO para blog

Com todas essas dicas, você já possui conhecimento básico de SEO para blog e está pronto para aplicar em suas publicações! Caso tenha alguma dúvida, entre em contato com a gente ou deixe um comentário. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Assine nossa Newsletters

Receba semanalmente as principais notícias e conteúdos sobre Marketing Digital.

Você pode gostar disso